Gerenciamento Ambiental

Gerenciamento Ambiental

Gestão e Sustentabilidade

Com a globalização das questões ambientais através da busca da sustentabilidade houve a necessidade de compatibilizar o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente, conseguido através da aplicação dos conceitos de gestão, pois através da gestão de um sistema ficam assegurados sua utilização, rendimento, perenidade e desenvolvimento.
A gestão integrada visa superar a dicotomia entre os fenômenos de degradação, as ações corretivas a serem empreendidas e a disponibilidade de recursos para a satisfação das necessidades da produção e do consumo humano. O futuro do meio ambiente depende da gestão desses recursos, tanto no caso dos mesmos estarem sendo super explorados acarretando a degradação do meio ambiente ou quando estão sendo mal utilizados.

A promoção de uma gestão integrada de recursos naturais e do meio ambiente pode nos levar não só, ao questionamento de certas modalidades técnicas de exploração, mas também estimular a busca de transformação das condições sociais que cercam seu exercício, aparecendo como um dos principais componentes das interações entre a sociedade e a natureza.

Esta forma de gestão torna-se mais abrangente, no momento que for ampliada englobando uma visão de previsão e até, provisão, pois se encontra à montante e não a jusante das opções de desenvolvimento, como no primeiro conceito mencionado, interrelacionando o sistema sócioeconômico e sistema.

Com este conceito, o planejamento do processo de desenvolvimento é inserido em um processo de gestão permanente de recursos, do espaço e da qualidade do meio natural e artificial onde se busca compatibilizar as condições ecológicas ao desenvolvimento, a longo prazo, o que pode conduzir ao desenvolvimento de estratégias tendo por objetivo modular a demanda.

Os objetivos da gestão de recursos devem contemplar políticas de diversas esferas de decisão (política industrial e tecnológica, política de ordenamento espacial, política ligada aos modos de vida etc); as decisões e a gestão dos recursos devem ser apreendidas anterior à intervenção pública e posterior às preferências de consumidores e usuários (independência nacional, emprego, equilíbrio regional, proteção do meio ambiente etc).

Como a preocupação em gerenciar resíduos floresceu, as indústrias têm adotado os princípios da gestão ambiental que consiste, em um conjunto de medidas e procedimentos bem definidos e adequadamente aplicados que visam reduzir e controlar os impactos introduzidos pelos empreendimentos sobre o meio ambiente. Estes princípios devem também assegurar a melhoria contínua das condições de segurança, higiene e saúde ocupacional de todos os seus
empregados e um relacionamento sadio com os segmentos da sociedade que interagem com esse empreendimento e a empresa. As relações ambientais entre o ecossistema e as empresas tornaram-se estáveis, no momento em que os requisitos de natureza física, química, biológica, social, econômica e tecnológica são atendidos através da qualidade ambiental.

A autocrítica verdadeira e transparente é fundamental para a empresa que decide implantar uma política ambiental, pois terá que rever suas formas de atuação eliminando tradições sedimentadas ao longo do tempo. A política ambiental deve estabelecer os objetivos ambientais estratégicos da organização. Para que estes objetivos sejam alcançados é fundamental que os funcionários reconheçam na educação ambiental um novo fator de progresso, diferente do treinamento profissional, muito embora os dois se complementem.

A educação ambiental constitui uma ferramenta importante na implantação da política ambiental da empresa que se consolidará através de um sistema de gestão ambiental. Sendo assim todos são responsáveis por esta proteção ambiental, da mesma forma que o é pela, sua atuação pessoal segura. Os erros operacionais constituem uma das principais causas da geração de resíduos altamente tóxicos e dos maiores acidentes.

Os dirigentes da empresa têm papel fundamental neste processo de conscientização ambiental podendo provocar alterações profundas em suas prioridades estratégicas e mudanças que vão modificar as atitudes e o comportamento de todos os funcionários. A partir da política ambiental a empresa deve estabelecer seu planejamento ambiental, tomando como base os princípios já serão estruturados, dando origem ao Sistema de Gestão Ambiental (SGA) da
empresa.

A implantação de um sistema de gestão ambiental exige o envolvimento da empresa como um todo. A responsabilidade ambiental deve ser disseminada para todos os setores, seja a área operacional, administração, compras, projetos, serviços gerais etc. Quando a organização enxerga as questões ambientais sob a mesma ótica, soluções criativas começam a surgir, oportunidades são melhores exploradas, por exemplo, o aproveitamento de rejeitos, substituição de insumos, eliminação de perdas nos processos, reciclagem, redução do consumo de energia, redução da geração de resíduos, mudanças tecnológicas etc. A introdução de estratégias de prevenção representa redução de custos.

Através do sistema de gestão ambiental a empresa adquire uma visão estratégica em relação ao meio ambiente deixando de agir em função apenas dos riscos, passando a perceber também, oportunidades. Isso somente é possível se todos compartilharem a mesma visão e estiverem motivados. Esse é o maior diferencial entre uma empresa que possui um SGA estruturado em relação a uma empresa que não possui. O estabelecimento de um sistema de gestão ambiental busca compartilhar qualidade do produto ou do serviço, controle ambiental e segurança no trabalho, este tripé garantirá a sobrevivência da empresa à longo prazo. O estabelecimento de um SGA exige a substituição de velhos paradigmas.